Reading:
Autoconhecimento para Liderar

Image

Autoconhecimento para Liderar

abril 27, 2022

O primeiro passo para a liderança é ser um líder de si mesmo.


Geralmente ao falar sobre liderança é comum aos gestores fazer a associação do termo à liderança de outras pessoas. No entanto, não há só um tipo de liderança e antes de praticar a gestão das outras pessoas da sua empresa, é imprescindível que você saiba gerir a si próprio e se tornar um líder de si mesmo.

Para te ajudar nesse caminho, a psicóloga e professora da Fundação Dom Cabral Clara Linhares explica o que e como fazer para colocar em prática a autoliderança.

Se autoliderar, nas palavras da professora “é ter a condição, a capacidade e a competência de conhecer a si mesmo e se autogerenciar”. As duas coisas são diretamente interligadas, pois para poder fazer a gestão de si próprio, é preciso um autoconhecimento profundo.

Portanto, liderar a si mesmo envolve entender o lado bom e o ruim de saber o que você é e conseguir conviver com isso da melhor forma possível. 

Isso pode te ajudar em seu dia a dia, e a professora explica como: “Quanto mais eu me conheço mais eu tenho a oportunidade de conhecer o outro, acessar o outro, estimular o outro na fala, fazer com que ele me escute e me entenda, eu posso me colocar no lugar dele.” Esse autoconhecimento faz com que liderando a si mesmo você possa liderar outras pessoas.

Mas como colocar a autoliderança em prática?

Na prática, desenvolver a autoliderança é um processo que exige alguns passos e pontos de atenção. Segundo a professora Clara, primeiramente deve-se fazer uma avaliação do seu perfil pessoal e profissional.

Ela indica que as pessoas passem por um processo de avaliação de um dos instrumentos e de uma série de perfis de autoconhecimento que existem hoje no mercado. Você pode usar isso para se conhecer, tendo em vista que é um passo bom para ter algo que fale sobre você e que ainda te possibilita refletir em cima do que é apontado.

Em seguida, trabalhe o seu feedback. A professora sugere escolher três pessoas do seu convívio diário, que você goste, respeite e que sejam de sua altíssima confiança. Feito isso, peça a essas pessoas feedbacks sobre você.

A vantagem de se obter um feedback é ouvir daqueles que te observam o que eles percebem em você que é forte e o que pode ser desenvolvido.

Clara Linhares faz ainda uma indicação de um autor que trata do assunto, Peter Drucker. “Ele tem um texto que se chama Seja seu próprio gerente, onde ele diz o seguinte: pegue o que você tem que é forte e te destaca e invista nisso, já o que você tem de fraco, desenvolva o suficiente para não interferir no que você tem de forte.”

A professora diz que por mais que pareça o mais certo a se fazer, focar nos seus pontos fracos não é o mais importante nesse momento: “Investir nos pontos fracos é um total paradigma a ser quebrado, pois somos ensinados que se não somos bons em algo, devemos nos capacitar naquilo em que não somos”.

Na realidade isso não é o ideal a se fazer, porque você pode perder muito tempo tentando melhorar em algo que não faz seu estilo enquanto poderia estar sendo ainda melhor no que já sabe fazer. Ela afirma que ao dar mais atenção ao que é fraco, o máximo que você consegue ser é uma pessoa mediana.

Portanto, dentro do conceito de autoliderança o que pode fazer com que você se estimule e se destaque é saber o que você tem de forte. Busque então esses ideais dentro de si e formas com as quais poderá projetá-los para um próximo nível.

Como a capacidade de autoliderança afeta a sua carreira?

O desenvolvimento da autoliderança se relaciona com as exigências desse mercado na medida em que interfere na carreira profissional do gestor.

A professora explica que não há como qualquer profissional se desenvolver, chegar a pontos estratégicos e ter um alto desempenho no mercado sem se conhecer.

Ela menciona o cenário dentro das empresas atuais, que esperam resultados e performances dentro do que elas querem. Dentro disso, aquele que deixar de apresentar resultados não tem reconhecimento nem lugar no mercado.

“O que favorece profundamente você apresentar resultados positivos é você ter consciência do quanto você sabe daquilo que você faz, o quanto você está preparado para aquilo e o quanto você se conhece”, diz Clara.

De acordo com a professora, é nesse sentido que a autoliderança influencia completamente as perspectivas de mercado. Considerando esses fatores, as empresas precisam entender o mais rápido possível que são as pessoas que fazem com que elas sejam o que são.

Uma empresa é formada por pessoas, então para conhecê-la e ser sua representação, cada um dentro dela precisa se conhecer.

Um líder precisa conhecer os outros e mais importante ainda, a si próprio. “Por isso devemos estar muito atentos a começar a trabalhar esse autoconhecimento.”

Em conclusão, para a professora Clara isso é o que te dá o poder de entender quem você é e avaliar o quanto isso pode te ajudar a acessar o outro, entender o outro e se relacionar com o outro.

Ao utilizar o processo de autoconhecimento para liderar, você coloca o ato de se conhecer como subsídio para a tomada de decisões tanto para a sua empresa quanto para o seu desenvolvimento pessoal e educacional!

Aprimore a sua capacidade de autoliderança e liderança de equipes na Pós-graduação em Gestão de Negócios da FDC, o programa que desenvolve executivos e líderes trabalhando o autoconhecimento, estratégias e demais áreas da gestão corporativa.

Clique aqui e confira mais sobre o curso!

Clara Linhares é professora da Fundação Dom Cabral, psicóloga, possui formação em gestão de pessoas, além de atuar como consultora e coaching de carreira e profissões.


Confira o vídeo da entrevista completa com a professora Clara Linhares clicando aqui!




0 Comments

Deixe um comentário

Related Stories

agosto 17, 2020

O Autocuidado em Tempos Desafiadores

Arrow-up